Poesia

Poesia na Estante #2

Pra recomeçar os posts, escolhi citar uma poesia. A poesia de hoje é uma das que eu mais gosto, pois é engraçadinha e meio que conta uma história, com um toque de humor. É um poema bem curto, mas bastante famoso: Quadrilha, de Carlos Drummond de Andrade. Leia:

Fonte: http://ricardomees.blogspot.com.br/2011/09/criando-parodias-drummond.html

João amava Teresa que amava Raimundo
que amava Maria que amava Joaquim que amava Lili
que não amava ninguém.
João foi para os Estados Unidos, Teresa para o convento,
Raimundo morreu de desastre, Maria ficou para tia,
Joaquim suicidou-se e Lili casou com J. Pinto Fernandes
que não tinha entrado na história.

Drummond foi um dos grandes poetas, contistas e cronistas brasileiros e este seu poema é um dos mais conhecidos (e que sempre é usado nas escolas). Publicado no livro Alguma Poesia, primeiro livro de poemas de Drummond, é escrito em versos brancos e livres (ou seja, sem rimas e métrica fixa) e com uma linguagem coloquial (ou seja, uma linguagem simples, próxima da fala), sendo um bom representante do modernismo pós-semana de arte moderna de 1922.

Pesquisando na Internet, achei uma versão – ou (sub)versão, como diz o autor – muito legal do poema. É em forma de quadrinhos, chamado Neoquadrilha, de Marlon Tenório. Veja:

Fonte: http://www.marlontenorio.com/blog/tag/carlos-drummond-de-andrade/

Anúncios

2 comentários em “Poesia na Estante #2

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s