Literatura Estrangeira · Policial/Suspense/Mistério · Resenhas

O Caso dos Dez Negrinhos, de Agatha Christie

“Dez negrinhos vão jantar enquanto não chove; um deles se engasgou e então ficaram nove.
Nove negrinhos sem dormir: não é biscoito! Um deles cai no sono, e então ficaram oito.
Oito negrinhos vão a Devon em charrete; um não quis mais voltar, e então ficaram sete.
Sete negrinhos vão rachar lenha, mas eis que um deles se corta, e então ficaram seis.
Seis negrinhos de uma colméia fazem brinco; a um pica uma abelha, e então ficaram cinco.
Cinco negrinhos no foro, a tomar os ares; um ali foi julgado, e então ficaram dois pares.
Quatro negrinhos no mar; a um tragou de vez o arenque defumado, e então ficaram três.
Três negrinhos passeando no zoo. E depois? O urso abraçou um, e então ficaram dois.
Dois negrinhos brincando ao sol, sem medo algum; um deles se queimou, e então ficou só um.
Um negrinho aqui está a sós, apenas um; ele então se enforcou, e não sobrou nenhum.”

No post de hoje vou falar sobre uma obra-prima do gênero policial escrita pela Rainha do Crime. Preciso dizer mais alguma coisa?

Eu simplesmente amo esse livro e o acho realmente o melhor romance policial já escrito, sendo o melhor da Agatha Christie, que é a minha escritora favorita. Já li uns 40 livros dela, mas O Caso dos Dez Negrinhos, na minha opinião, é o melhor!

Ele é o livro mais vendido da autora e um dos maiores best-sellers do mundo. Por ter como título original Ten Little Niggers (Dez Negrinhos, literalmente), levantou polêmicas sobre racismo por conta dos “negrinhos” do título e então, foi republicado como And Then There Were None, em inglês, e como E Não Sobrou Nenhum, no Brasil. Eu, como conheci o livro com o título de O Caso dos Dez Negrinhos e como esse é o título original, prefiro chamá-lo assim (e também não vejo problema nenhum neste título; hoje em dia o politicamente correto está literal demais!).

 A história se passa numa ilha deserta chamada Ilha do Negro, onde dez estranhos vão passar um tempo juntos a convite de um misterioso casal, que tem as mesmas iniciais: U. N. Owen. Durante a primeira noite, quando estão terminando o jantar, uma voz vinda de um gramofone acusa  a todos eles, incluindo o próprio casal anfitrião, de estarem envolvidos cada um com a morte de alguém. Assustados e com medo do que está por vir por causa dessas acusações, todos pensam em sair da ilha, mas a única forma possível, um barco que vem do continente, não está disponível porque o mar está agitado (e continua agitado por dias). Então, todos têm de ficar lá, isolados, enquanto um por um começam a morrer (ou a ser assassinado?). Cada morte segue quase literalmente o que diz um poema (que dá nome ao livro) afixado no quarto de cada hóspede (é o poema da citação acima!).

À medida que as mortes vão ocorrendo, os hóspedes percebem que um deles é o assassino, só que eles não têm para onde fugir…

 É “muito ótima” essa história!!! Dá muito medo e o final é simplesmente incrível e surpreendente! Só a ideia de as mortes ocorrerem como no poema já dá arrepios; com uma ilha deserta de onde ninguém pode sair, então… rs

Leia! Com certeza você também vai se surpreender, porque O Caso dos Dez Negrinhos é extremamente original, chocante e sensacional! Ah, e se você é medrosa como eu, leia durante o dia! rsrs

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s